22 de maio de 2006

--
e a repetição de recusas
insistentemente durante o dia

e as suas insistentes aparições em sonhos


há no meu corpo
por dentro por fora em volta dele
ruínas que não são minhas



agora aceitamos o que não é pronto
nem perfeito nem acabado
possuir ausências fica sendo existir
--

3 comentários:

Allegro disse...

= )

possuir...
existir...
acabamos por conjugar demais estes verbos; mesmo que seja na ausência. Beijo carinhoso, daqui detrás das montanhas. :o)

pablo araujo disse...

gostei.

dada tida disse...

Credo, muito bom..sua maldita!!!!